Um Blog para escrever o que me vai no coração, inspirado num blog de um amigo e com o incentivo dele.

05
Jun 09

Se perguntarmos a alguém o contrário de bonito dirão que é feio, de preto o branco, de gordo será magro.

E se perguntarmos o contrário de Amor dirão ódio... Mas será que será mesmo?!

O contrário de amor é a indiferença!

Para odiar alguém precisamos reconhecer que essa pessoa existe, que provoca sensações em nós por pior que sejam. Para odiar alguém precisamos de um coração mesmo que seja frio e de raciocíonio por doente que esteja. Odiar provoca cabelos brancos, rugas pela face e uma angústia enorme no peito. Para odiar, precisamos do objecto do ódio nem que seja para lhe dedicar o nosso rancor, a nossa ira, a pouca sabedoria para entendê-lo e pouco humor para aturá-lo.

Se o ódio tivesse cor seria vermelho tal e qual o amor. O ódio é o sentimento mais próximo do amor.

 

A indiferença é o contrário do amor.

O que é necessário para ser indiferente?! De nada e de coisa alguma!

A pessoa pode andar aos pulos, pode saltar da ponte, pode andar vestida de fraque, pode andar com a pior roupa que tiver, pode ganhar o euro-milhões ou ficar na miséria! Os seus actos não nos interessam, não nos importamos se a pessoa está bem ou mal, o que quer ou não quer, não observamos sequer os seus modos. Essa pessoa não exige a nossa boca, o nosso coração, o nosso olhar, o nosso cérebro. O nosso corpo ignora a sua presença e nem sente a sua ausência.

Se a indiferença tivesse cor, então seria da cor da água, do ar...

 

Agora não sei se amo ou se odeio, pois o ódio e o amor estão muito próximos. Também não sei ser indiferente... Que confusão!

 

Amada ou odiada?! Ou na indifernça?! Hummm Outra grande confusão, ;)

 

publicado por Joaninha às 13:47

Junho 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
11
12
13

14
15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30


mais sobre mim
pesquisar
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

blogs SAPO