Um Blog para escrever o que me vai no coração, inspirado num blog de um amigo e com o incentivo dele.

08
Jun 10

 

Pensamentos que vagueiam na mente...

 

Em determinados momentos da vida ou na vida, temos a necessidade de encontrar respostas para aquilo que muitas vezes não merece resposta.

Existem dias em que tudo parece negro sem qualquer horizonte, sem qualquer razão de ser, em que tudo está sem sentido, sem cor e sem motivo... Nesses dias correm lágrimas e por muito que as tentem estancar elas furam por entre a vontade involuntária e entre os dedos que as tentam acalmar e enxaguar... E é nesses dias que tudo acontece... O mundo que nos rodeiam bombardeia em todas as direcções e incapazes nós nem nos movemos, acabamos sim por ser atingidos pelos gestos e palavras mais insignificantes... Nesses dias descobrimos o verdadeiro significado ou valor da amizade e da palavra amigo... Nesses dias tudo está perdido... E após várias tentativas à descoberta dos porquês surge uma vontade de nos deslocarmos até quem mais gostávamos que nos ouvisse, apoiasse, e desse aquele abraço, aquele beijo, aquela palavra, aquele carinho especial e diferente de todos os outros... Pernas, braços, mãos... tudo move-se nesse mesmo sentido! Essa pessoa existe, ela está lá, mas cheia de reticências, cheia de fechaduras, muros altos, torna-se inalcançável, está provida de todas as armas e mais algumas... Não adianta de nada querer respostas, querer atitudes, olhares ou até mesmo aquele gesto e carinho, se essa pessoa apenas te dá a sua presença e mesmo essa em duração curta e em contra-relógio!!! Parece impossível, mas é a verdade dos momentos difíceis! Uma verdade dura mas realista. Sim... em busca de respostas verbais e apenas se sai com atitudes. Não era esta a busca procurada, mas foi a dada, foi a resposta traduzida em gestos, em gestos que não eram os mais desejados. Foram os gestos possíveis de se encontrar.

Não há culpas nem culpados, não há protagonistas nem actores secundários, não há palco nem plateia, é uma história criada em cima de um palco imaginário e frágil. Uma história começada pelo fim... Isto é como querer construir uma casa pelo telhado quando antes são necessários alicerces firmes e robustos.

 

Será que era mesmo preciso tudo isto?!

Aos olhos de pessoas especiais é preciso ver e ouvir para crer, crer naquilo que a cabeça já sabe mas que o coração não aceita.

Bem ou mal, acho que a mensagem andou a ser passada. O coração comanda a vida com os sentimentos, a cabeça usa a razão. Para que vamos expor sentimentos quando a razão diz o contrário?! Para quê a exposição de um sentimento se depois a queda torna-se dura e feia?! A razão deve ser usada antes de nos magoarmos com a pressa de querer ter aquilo que ainda não é para nós.

 

Se calhar até te amo, se calhar até tens valor para mim, se calhar há em mim uma vontade de te querer perceber, se calhar...

Mas e em ti?! Tens a vontade de quê?! Mais uma vez perguntas sem respostas verbais... e neste caso sem qualquer tipo de resposta!

 

Lutar?! Luto sempre quando do outro lado existe resposta ao estímulo, caso contrário, fico-me por estas bandas de cá, quieta e sossegada. Assim, não perco nada, pois também nada foi meu. Só perde quem antes já ganhou!!!

publicado por Joaninha às 06:22

1 comentário:
Apenas,
Sê feliz... contigo mesma....

beijo
justme a 8 de Junho de 2010 às 14:02

Junho 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
29
30


mais sobre mim
pesquisar
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

blogs SAPO