Um Blog para escrever o que me vai no coração, inspirado num blog de um amigo e com o incentivo dele.

27
Out 08

Não gosto de...

 

Ser baixa

Estar magra

Do frio

De chuva miudinha

Vento

Areia pelo ar

Que se riam de mim

Favas

Cheiro a naftalina

Cheiro do sonasol

Correr

Malibu (bebida)

Perfume de coco

De ser acordada ao abanão e aos berros

Caminhar rápido

Pessoas que não me levam a sério

Insectos

Pessoas que não sejam capazes de perceber quando incomodam

Que não parem de me azucrinar o juízo

Cócegas

Estar doente

Que me obriguem a comer e rápido

Que façam de conta que não estou a falar

Pessoas intrometidas

Mentiras

Ipócrisia

Que me usem para atingir os seus fins

Fazer a depilação (é que dói)

Ar condicionado

Estar à espera (apesar de me atrasar sempre)

Que me berrem

Gente estúpida, que só diz asneiras

Duvidem de mim

Que me magoem

 

publicado por Joaninha às 22:54
sinto-me:

Gosto de...

 

Dos meus olhos esverdeados e gigantes

Do meu cabelo

Sol

Cheiro a maresia

Dançar

Do céu estrelado

Gelados

Castanhas assadas no fogareiro

Dos meus amigos

Do meu trabalho

Do meu telemovel

Do meu perfume Tempore

Cheiro a casa limpa

Sentir que sou amada

Dos meus anéis de prata

Da minha pulseira Pandora

Amar

Receber mimos

Ser útil

Ser reconhecida pelo bom desempenho e dedicação

Ter boas notas

De rir

Que me façam rir

Ver o mar

Tirar fotos

Que me tirem fotos

Trocar de carro a toda a hora

Da minha família (pais, irmão e sobrinhos)

Shots shots shots

Acordar com beijinhos

Conduzir

Gatos

Sinceridade

7 Up

Massagens

Que me mexam no cabelo

Do meu casaco vermelho

Da roupa da salsa, Desigual, Custo

Ouvir música

Do meu sotão

 

 

publicado por Joaninha às 22:46
sinto-me:

06
Out 08

Ler...

Ler torna-se uma realidade, quando há a necessidade de adquirir conhecimentos, aprender coisas novas, encontrar-mo-nos dentro de nós mesmos, conhecer-mo-nos interiormente, aprender a lidar com as angústias, os medos que nos assolam no dia-a-dia.

Ler um romance...

Ler um policial...

Ler uma ficção...

Ler psicologia...

Ler...

Não interessa muito bem o que se lê, interessa sim ler o que se gosta, começar um livro com a intenção de chegar há última página, ler com vontade de ler, ler com atenção, aprender com o que se lê. De certo que assim qualquer um aprende a mensagem do livro, a mensagem que o livro tem para nos dar, a lição. Se cada um que lê adquirir a mensagem que o livro tem por entre as linhas e palavras, vai concerteza enriquecer a sua mente, os seus conhecimentos, e vai aplicar esta lição no seu dia-a-dia.

Já tentaram?

Eu já! E dá resultado.

Ler também pode "abrir" o apetite à escrita (tema para outro post)...

Ler um romance transporta-nos para o sonho, para a vontade de viver um amor intenso, cheio de paixão. Chorámos e rimos ao ritmo da leitura, ao ritmo do desenrolar da história, e acabamos sempre a pensar que também queremos um amor assim, com um final feliz como os contos de fadas! ;) Lol

Ler um livro de psicologia ajuda-nos a compreender o nosso Eu, o que vai dentro de nós e o que nos rodeia. Existe sempre uma palavra, uma frase, um parágrafo, um pequeno excerto do livro com que nos identificámos, onde vemos parte da nossa vida ou os nossos desejos espilhados. E existe de certo outra parte do livro que nos ajuda, traz até nós uma resposta, um escape, ensina-nos a lidar com determinada situação, mostra a luz ao fundo do túnel!

 

Ler é enriquecedor!

Faço isso no dia-a-dia, passou a ser um ritual.

Recomendo a leitura do livro "O Tesouro". É um livro que dependendo da fase da vida, ensina, ajuda e mostra caminhos. recomendo também a leitura do Livro "Solteiras" escrito por uma psicoterapeuta.

 

Tirar partido do que nos rodeia é uma virtude, aproveitemos.

Dá-te uma oportunidade, não deixes que o que é menos bom tome conta dos teus sonhos, destrua as tuas vontades. Se estás menos feliz, então coloca a música do carro mais alta, se queres aliviar e pensar vai olhar o mar, ele é bom conselheiro. Não feches o teu coração só porque aconteceu algo que não querias ou não esperavas, dá uma oportunidade a ti mesmo de seres feliz! Eu sei que és capaz. Todos somos, tens de acreditar!

publicado por Joaninha às 21:54

Antigamente, segundo os nossos pais, os filhos não diziam nada que desrespeitasse os seus pais, não diziam palavrões, apenas acatavam ordens. tratavem-nos como sr., faziam tudo que lhes era imposto, os que podiam iam para a escola os que não podiam tinham o campo à espera. Os que iam para a escola, vestiam roupas bastante pobres, iam quase descalços, excepto aqueles que eram filhos de quem tinha algum poder económico. Alguns tinham o prazer de aprender a ler e a escrever. Faziam a 4ª classe os que lá conseguiam chegar. Aos 11 anos o trabalho estava à espera destas crianças que mal sabiam ler e escrever, que ainda nem homem nem mulher eram! Esperava-os fábricas, carpintarias, serralharias, trabalhos pesados e barulhentos, não tinham outra hipótese senão esta oportunidade de ganhar dinheiro para comerem. O ordenado era entregue aos pais no final do mês! Aos 11 anos trabalhavam para a casa, para os irmãos e iam a pé para o trabalho, pois era impensável gastar dinheiro na camioneta.

Hoje, a realidade é outra. Os filhos não estão habituados a dizer Bom Dia aos pais, não dão um Beijo quando saem e entram em casa, têm más respostas para os pais, caras feias, o chamado mau feitio (e contra mim falo), são assim com os pais, irmãos, tios, primos, amigos, colegas de trabalho... A minha geração já é assim, mas os mais novos, esses são bem piores.

A geração seguinte à minha, no meu entender, está muito indisciplinada, tem falta de valores, falta de humildade, não gostam de admitir as falhas, acham que admitir que estão a errar é o mesmo que se rebaixarem, só gostam de admitir as coisas boas. São capazes de ter consciência que estão a errar mas a arrogância na resposta, no tom de voz é tal, que até fico a pensar isto será falta de educação ou falta de humildade?!

Esta gente tem a vontade de ser uma pessoa diferente, querem esconder algo, têm ciúmes de outras pessoas, gostavam de ter a vida de outra pessoa?! Nem sei que pensar!!!

Estou a falar na geração mais nova, mas existem pessoas mais velhas que eu, que têm uma arrogância tal quando lhes tentam ensinar algo de novo... é incrivel, mas isto vem de geração em geração, é passado de pais para filhos, está na educação de cada um!

Mas chego sempre à mesma questão, falta de humildade ou falta de educação?

Resumo este tipo de comportamento a uma questão!

publicado por Joaninha às 21:34

Outubro 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
16
17
18

19
20
21
22
23
24
25

26
28
29
30
31


subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

blogs SAPO